Assistência Virtual: Gestão do Tempo, Relevância e Prioridades

Quando decidi me tornar empreendedora e mergulhar na área da Assistência Virtual, não tinha ideia do quanto esses pontos seriam fundamentais para mim: Gestão do Tempo, Relevância e Prioridades.

No começo, quando tudo é novidade, fui tentada a querer abraçar o mundo e estar por dentro de tudo para dar conta do que a demanda, que até então eu não tinha, poderia precisar.

Conforme fui estudando e ganhando mais afinidade com o nicho que escolhi para trabalhar, percebi o quanto é importante se especializar no assunto para conseguir a excelência.

Além dos estudos, para ser uma excelente Assistente Virtual, independente da área de atuação, é muito importante saber gerir o próprio tempo, focar no que é relevante e definir as prioridades do dia.

Apesar de serem tópicos diferentes, eles estão interligados e tem algo em comum: o Tempo. Esse recurso é cada vez mais escasso na vida das pessoas, mas se bem administrado pode render muitos benefícios e é sobre isso que quero falar.

Assistência Virtual e a Gestão do Tempo

A principal vantagem de ser uma Assistente Virtual, é a flexibilidade de horários. No entanto, se não souber gerir o próprio tempo, isso pode se tornar uma verdadeira armadilha!

Logo que me tornei uma empreendedora e comecei a trabalhar em casa, me vi um pouco perdida no começo. Isso é normal, uma vez que sempre trabalhei em ambientes corporativos e tinha uma rotina de horários.

Graças à capacidade de adaptação do ser humano, essa tarefa foi “tirada de letra” após alguns meses de organização, testes e observação pessoal. Sim, pois precisei observar uma série de fatores em mim mesma para conseguir organizar o meu dia.

Por exemplo, no início, queria acordar sem despertador, pois meu corpo fica melhor durante o dia. Acordava naturalmente, fazia minha meditação, tomava café, treinava, tomava banho e depois começava a trabalhar.

Com o tempo, meu corpo começou a ficar “preguiçoso” e eu comecei a acordar cada vez mais tarde, sem contar quando acontecia algum imprevisto para resolver e “quebrava” esse ciclo. Ou seja, minha produtividade caiu bastante e logo fui obrigada a remanejar a minha rotina.

Ora, mas se eu escolhi trabalhar de forma remota com flexibilidade de horários, por que eu tenho que me preocupar com isso?

Resposta: porque nosso corpo é uma máquina e precisa de hábitos regulares para funcionar como um reloginho!

Se deixamos que ele faça o que quer, ficaremos sedentários e improdutivos. De acordo com especialistas, ele foi feito para poupar energia. Isso explica o fato de eu levantar da cama cada vez mais tarde quando resolvi acordar naturalmente, sem despertador.

Para resolver esse problema, ativei novamente o despertador, mas dessa vez para acordar às 7h. Afinal, me recuso a acordar no mesmo horário que eu acordava quando trabalhava no mundo corporativo (6h… rsrs). O restante da rotina, seguia como relatei mais acima.

Pouco tempo depois, comecei a perceber que acordar às 7h ainda não estava resolvendo o meu problema de gestão do tempo. Eu tinha a sensação de que muita coisa já tinha acontecido nessa 1 hora que eu “perdia” dormindo.

Não era nada disso… Na verdade descobri que meu corpo se acostumou a acordar às 6h da manhã, pois fiz isso quase a minha vida inteira! E realmente, acordando nesse horário, tudo flui melhor para mim e eu consigo organizar melhor o meu dia.

Outra adaptação que tive que fazer nesse quesito, foi com relação à organização das minhas atividades. Após alguns testes, percebi que o período em que estou mais produtiva é na parte da tarde. Isso porque de manhã tenho um “ritual” com a minha saúde física e mental, bem como com a casa.

No período da manhã preciso de um tempo para acordar, meditar, tomar café com calma, treinar, organizar a casa e me preparar para o trabalho. Salvo algumas exceções, acabo realizando alguma atividade na parte da manhã, por exemplo quando o site para o qual eu trabalho solicita algum artigo com urgência.

Quando não há nada urgente para fazer no período da manhã, começo o meu expediente no período da tarde e vou até quando eu achar necessário. Procuro não ultrapassar o término das 19h, mas também para isso há exceções. Como também houve exceções em finais de semana e feriados, quando precisei fazer “hora extra” para cumprir com os compromissos assumidos na época.

Conclusão

A Gestão de Tempo para mim funciona da seguinte forma:

  • Acordar às 6h da manhã todos os dias;
  • Ler e Meditar;
  • Verificar se chegou alguma solicitação urgente;
  • Apreciar o café da manhã (deixa o meu dia mais feliz);
  • Movimentar o corpo (recomendação médica);
  • Organizar a casa;
  • Tomar banho;
  • Almoçar;
  • Trabalhar;
  • Jantar;
  • Descansar (essa parte anda um pouco negligenciada, mas vou melhorar).

Claro que, devido à flexibilidade de horários que tenho, posso inverter a ordem de algumas atividades e não ter horário fixo para cada uma delas. Mas, para que tudo flua bem e dê tudo certinho, preciso seguir essa sequência.

Lembrando que isso funciona bem para mim, pode ser que para outras assistentes virtuais essa rotina não se encaixe. Por isso, vai de cada uma fazer a organização do seu dia, sem deixar de ouvir o próprio corpo. Afinal, é preciso ter equilíbrio para ter qualidade de vida!

Relevância e Prioridades

Por que mencionei esses dois aspectos no título deste artigo?

Apesar de serem palavras diferentes, elas estão relacionadas com o tempo que gastamos para elas. Vou dar um exemplo prático: Redes Sociais e Produção de Conteúdo.

Para divulgar os serviços de Assistência Virtual, é muito importante saber o que está acontecendo nas redes sociais e quais as formas de atrair clientes para o negócio. Porém, se não tomar cuidado, essa “pesquisa de mercado” pode facilmente se transformar em PROCRASTINAÇÃO!

Sim! Essa palavra horrorosa tem um significado que anda de mãos dadas com a preguiça: “deixar para depois, adiar, postergar…” e por aí vai…

Por isso, é preciso ter um autocontrole muito grande quando se trabalha com redes sociais. Sofri com isso no começo, pois precisava saber o que estava rolando nos feeds, bem como aprender a lidar com a “concorrência”. Essa é outra palavra feia e que não se aplica às minhas colegas assistentes virtuais, pois estou aprendendo que muitas delas são parceiras e não concorrentes.

Diante disso, concluí que para evitar a procrastinação é necessário PRIORIZAR e focar somente no que é RELEVANTE para o meu trabalho e para a minha vida. Afinal, o conteúdo exposto diariamente na web é muito amplo e diversificado. Ou seja, é humanamente impossível acompanhar tudo!

Daí vem a afirmação mencionada no início deste artigo sobre querer abraçar o mundo… É óbvio que isso também é impossível!

Para eu me tornar uma boa assistente virtual, estou aprendendo a priorizar informações relacionadas às atividades com as quais eu escolhi trabalhar: Redação de Textos e Produção de Conteúdo. Consequentemente, busco informações relevantes sobre esses assuntos e não mais sobre todas as áreas que envolvem o ramo da Assistência Virtual.

Esse é um ramo que cresce a cada dia, pois cada assistente cria o seu trabalho de acordo com as habilidades que domina.

Além da Redação de Textos e Produção de Conteúdo, tenho habilidade para desenvolver serviços administrativos e financeiros, pois trabalhei com isso durante a minha vida inteira. Porém, ainda não tive a oportunidade de desenvolver esse tipo de atividade de forma remota, pois não foquei em buscar clientes para prototipar (testar meus serviços).

Para prototipar serviços administrativos e financeiros, tenho que definir um nicho que pretendo atender. Por exemplo: microempresa, profissionais liberais, comércios da região, ou até mesmo pessoas físicas que estão abrindo seus próprios negócios (MEI).

Como passei os últimos meses organizando a minha rotina e praticando o autoconhecimento, não era prioridade para mim correr atrás de mais responsabilidades. Foquei as minhas energias na gestão do tempo e me especializei no que eu já gostava de fazer.

O próximo passo é conseguir mais clientes no nicho que eu já trabalho e, se for relevante, definir um nicho diferente para desenvolver as outras habilidades, antes que elas “atrofiem”.

Esse artigo foi mais reflexivo e pessoal, mas acredito que servirá de exemplo para muitas assistentes virtuais que estão chegando no ramo. Afinal, Gestão de Tempo e Autoconhecimento também são “disciplinas” do curso Como Ser Assistente Virtual, o qual está fazendo muito sucesso com quem deseja trabalhar de forma remota!

Obrigada por ter acompanhado até aqui! Fique a vontade para curtir, comentar e compartilhar com quem deseja entrar para essa área, ou com quem precisa de ajuda para equilibrar os negócios! 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: