O Poder da Presença por Vania Ferrari e Anna Nogueira

Você já deve ter assistido alguma apresentação ou palestra em que o locutor não transmitiu segurança naquilo que falava. Ou mesmo você já deve ter passado por alguma situação na qual precisou se expressar, mas sua insegurança fez com que o seu corpo demonstrasse o oposto do que precisava dizer.

O Poder da Presença

Essas e outras situações são explicadas no livro O Poder da Presença de Amy Cuddy e no vídeo das palestrantes Vania Ferrari e Anna Nogueira do canal Pensamentos Transformadores, onde elas dão dicas para alinhar o que queremos dizer com o que corpo está transmitindo.

“A presença advém de acreditar e confiar em si, nos seus sentimentos, valores e habilidades reais e genuínas”, Amy Cuddy

Devemos nos concentrar menos na impressão que passamos aos outros e mais na impressão que passamos a nós mesmos. Uma pessoa carrega ferramentas e não armas, por isso é importante estarmos preparados para as ocasiões em que precisamos usá-las.

A presença nos prepara para situações desafiadoras, seja uma apresentação para um grande auditório, uma entrevista de emprego, ou o próprio dia-a-dia com familiares e líderes.

Os humores bem equilibrados curam problemas de saúde

No artigo anterior, falei sobre a questão da Distimia que nada mais é do que uma doença caracterizada pelo mau humor constante, entre outros fatores.

O nosso estado de espírito diz como o corpo deve se comportar e é por isso que a autora do livro O Poder da Presença afirma que deve existir uma sintonia entre o pensamento, o sentimento e o potencial de expressão.

Durante uma fala, é necessário que haja harmonia entre a postura, o tom de voz e os gestos do locutor, para que seja transmitida confiança aos ouvintes. Contudo, a confiança não pode ser forjada, pois do contrário o que ouve perceberá que algo soa falso naquele que fala. Quando isso ocorre, a chance de descrença e a perda de credibilidade são grandes.

Segundo Amy Cuddy, “o corpo e o cérebro fazem parte de um único sistema integrado complexo e belo. Experiências corporais, causam emoções, logo, podemos simular uma emoção até senti-la”.

Como ter presença?

O modo como conduzimos o corpo, a expressão facial, a postura e a respiração, afeta a forma como pensamos, sentimos e nos comportamos.

A presença é adquirida através do autoconhecimento. Precisamos entender nossas relações, nossos medos, emoções e saber lidar com elas. Quanto mais autoconhecimento, maior a chance de ter presença e de expressá-la.

A autora Amy Cuddy sugere um teste com 4 pontos a serem observados:

  1. Escreva três palavras que te descrevem.
  2. O que você tem de singular, que te leva ao sucesso?
  3. Cite um momento em que você se sentiu mais natural ou certo(a).
  4. Quais são os seus pontos fortes e como você os usa?

As respostas são pessoais e servem apenas para que cada um reflita sobre si e desenvolva o autoconhecimento.

Este é um exercício que deve ser feito várias vezes para buscar o tão esperado alinhamento, pois quanto mais claras as respostas ficarem, maior a chance de conseguir ter presença e segurança ao se expressar.

A partir desse autoconhecimento, devemos corrigir os pontos fracos e ter consciência do que nos fez fortes. Por exemplo: uma entrevista de emprego na qual você se sentiu tranquilo(a), seguro(a) e confortável.

Relembre o momento e procure aprender com ele: a preparação, a postura, a roupa, a respiração… Como você estava e como se sentia? Ao descobrir todos esses pontos, poderá munir-se deles em outras situações que precisar.

O que nossa postura quer dizer?

Segundo a autora do livro, as pessoas fazem os mesmos gestos, independente da cultura. Por exemplo: ao vencer uma corrida, a maioria dos atletas levantam os dois braços ao cruzar a linha de chegada. Esse gesto indica para o cérebro que a pessoa terá ou teve uma vitória.

Sendo assim, fazer esse gesto antes de alguma situação difícil, mesmo que não esteja participando de uma competição ou que ainda não tenha vencido, funciona como um ritual para alcançar a vitória. Ou seja, levantar os dois braços em “V”, passa uma mensagem positiva para o cérebro e nos leva a agir.

Uma outra posição bastante conhecida por transmitir segurança e confiança, é a “Pose da Mulher Maravilha”, que consiste em colocar as mãos na cintura e estufar o peito.

Ou mesmo a posição da “cobra” na Yoga. Segundo Amy Cuddy, essa posição aumenta o hormônio da confiança e reduz o hormônio da ansiedade, fazendo com que se tenha melhores resultados em determinadas situações.

Uma outra posição bem conhecida e que pode ser observada em reuniões gerenciais é a das mãos com as pontas dos dedos unidas. Esse gesto indica que estamos em sintonia com o conteúdo e demonstra que temos o domínio do assunto.

E por fim, a autora também cita uma prática para estimular alegria, que é a do sorriso falso. Escrevi recentemente sobre esse assunto para o site GreenMe.com.br. Consiste em um estudo que comprova a eficácia de colocar uma caneta entre os dentes, forçando um sorriso. Esse gesto estimula os músculos faciais, emitindo sinais de alegria e bem-estar no cérebro.

Além dessas dicas, outra muito eficiente para qualquer situação é o controle da respiração. Não é a toa que a meditação é tão recomendada para aprendermos a ter Controle e Equilíbrio Emocional. Veja a explicação desse benefício no artigo Meditação faz bem? O que diz a Neurociência?.

Presença, confiança e influência

Presença gera confiança que, por sua vez, ajuda a influenciar as pessoas. As palestrantes Vania Ferrari e Anna Nogueira do canal Pensamentos Transformadores, usam exemplos de liderança. Nesse caso, quando o líder é presente, ou seja, tem confiança e alinhamento dos sentimentos, expressões e fala, ele consegue fazer com que a equipe de fato trabalhe em conjunto.

Além disso, as pessoas mais presentes são mais abertas a críticas e não ficam se defendendo o tempo todo. Pegando novamente o líder presente como exemplo, a equipe dele tem total liberdade para apontar algum erro que ele tenha feito, sem que ele reaja ou receba mal determinada crítica/comentário. A reação violenta de um líder, pode estar relacionada com a falta de presença.

Você prefere ser guiado ou se guiar?

Quando temos conhecimento do nosso corpo e da nossa mente, passamos a operar de forma ativa e entendemos como funcionamos e como reagimos diante das situações.

Para reforçar esse conceito, é importante refletir os seguintes passos:

  1. Conheça seus valores;
  2. Desenvolva autoconfiança;
  3. Sinta segurança;
  4. Esteja aberto(a) para ouvir, aprender e melhorar;
  5. Torne-se uma pessoa mais apta para resolver problemas complexos;
  6. Exercite a sua capacidade de estar presente.

Uma coisa de cada vez!

Dados estatísticos citados por Vania dizem que “estamos 47% do tempo fazendo uma coisa e pensando em outra”. Esse é mais um indicativo de que devemos prestar atenção no momento presente.

Que tal começar usando menos o celular e olhando mais nos olhos? Certamente, conseguiremos ter mais presença dessa maneira!


Gostou desse conteúdo? Deixe seu curtir e seu comentário logo abaixo e se tiver interesse em ler mais sobre esse e outros assuntos, escolha entre as sugestões abaixo:

Inventário de Emoções: Por que é importante fazer?

Dicas para cultivar o Equilíbrio Emocional

Educação e equilíbrio emocional segundo a neurociência (Transcrição)

Um comentário em “O Poder da Presença por Vania Ferrari e Anna Nogueira

  1. Pingback: Setembro de 2020 – 🦋🐠 Metamorfose & Equilíbrio 🕉️

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: